• Redação

A Paraíba se despede do senador e ex-governador José Maranhão.

Familiares, políticos e eleitores se despediram, nesta terça-feira (09), do senador José Maranhão (MDB), cujo corpo foi velado no Palácio da Redenção no início da tarde.


O ex-governador morreu ontem, em decorrência de complicações causadas pelo novo coronavírus. Inicialmente, uma cerimônia ocorreu no hangar do Aeroporto Internacional Castro Pinto, com a presença de autoridades religiosas e públicas. Em seguida, o corpo foi levado em cortejo fúnebre para a sede do Poder Executivo.

Para evitar aglomeração, uma grade foi instalada em frente ao Palácio da Redenção, mas algumas pessoas puderam ter acesso ao local para se despedir do ex-governador. Emocionados, eleitores levaram retratos e santinhos de José Maranhão, que foi governador por três vezes, além de senador por dois mandatos. Ele também exerceu o cargo de deputado estadual e deputado federal pela Paraíba, tendo quase 70 anos de vida pública.

Um eleitor entregou um quadro à esposa do senador, Fátima Bezerra. “Ele foi quem mais fez pela Paraíba”, disse.

Presente no evento, o governador João Azevêdo (Cidadania) destacou o legado de grandes obras que o ex-governador deixou no estado, mas enalteceu também seu perfil de conciliador e de gentileza, inclusive com adversários. “Isso é dolorido por todos nós. O Canal da Redenção, de Acauã, de grandes adutoras que foram construídas, além de estradas. Hoje há uma duplicação de João Pessoa a Campina Grande. Todo mundo tem que lembrar que foi no governo dele. Obras, em si, representam o esforço dele como governador. O legado dele, de exemplo e prática política, esse fim ficará marcado. Todos conhecem a gentileza com que ele tratava todo mundo, até os adversários”, disse.

Prefeitos de todo o estado estiveram presentes, inclusive o de Campina Grande, Bruno Cunha Lima, e o vice-prefeito de João Pessoa, Léo Bezerra. Vereadores, deputados estaduais e federais também participaram da cerimônia. O ex-governador José Maranhão morreu na noite desta segunda-feira (8) no Hospital Vila Nova Star, de São Paulo, vítima de complicações da Covid-19. Ele era o senador mais velho da atual legislatura e estava internado desde 29 de novembro de 2020, dia de segundo turno nas eleições municipais, quando passou mal pouco depois de votar no candidato que ele apoiava.

Por volta das 18 horas, o corpo saiu novamente em cortejo e passou em frente à sede do MDB. Em seguida, seguiu para a residência do senador. De lá, seguiu para Araruna, sua terra Natal. O enterro será nesta quarta-feira (10) às 10h.

12 visualizações0 comentário