• Redação

Ciclone bomba: Ventos fortes causam estregos em RJ, RS, SC e SP nesta quarta


Ventania derrubou árvores no Rio e na cidade de São Paulo na madrugada. Na terça, fenômeno climático causou estragos e deixou 8 mortos no Sul do país.


Os estados do RJ e de SP devem sofrer fortes rajadas de vento nesta quarta-feira (1º) influenciadas pelo "ciclone bomba" que causou estragos, destruição e 8 mortes no Sul do país na terça. Nas capitais dos dois estados, a ventania derrubou árvores nesta madrugada.

O estado de São Paulo pode registrar rajadas de vento em torno de 80km/h por conta dos reflexos ciclone extratropical que segue atuando em Santa Catarina. Na noite de terça, a frente fria chegou ao estado paulista e duas lanchas e sete barcos afundaram em Peruíbe, no litoral. "Como nós estamos sob o efeito da borda desse ciclone, também temos condições favoráveis para ventos fortes. O estado de São Paulo pode ter rajadas em torno dos 80 km por hora nesta quarta-feira", disse César Soares, meteorologista da Climatempo.

No Rio, a previsão é de ventos de até 76 km/h na capital e ressaca com ondas que devem atingir os 3,5 metros, segundo o Centro de Operações Rio. Joinville registra ventos de 120 km por hora e tempestade causa estragos no Norte de SC Na manhã desta quarta-feira, cidades do Rio Grande do Sul ainda registravam ventos fortes. Na madrugada, por volta da 1h, Santa Vitória do Palmar, na Região Sul, teve rajadas de 116,6 km/h. Porto de Rio Grande tem atividades suspensas devido previsão de ventos de 120km/h — Foto: Portos do Rio Grande do Sul/Divulgação

Fenômeno causou estragos Santa Catarina foi um dos estados mais afetados pelo fenômeno na terça. Fortes temporais atingiram o estado. Árvores foram derrubadas e muitas casas destelhadas. Os ventos chegaram a 120 km/h durante a tarde, de acordo com a Defesa Civil. Um vídeo flagrou o momento em que o telhado de uma edificação é arrancado inteiro em Florianópolis. Já outro, mostra trabalhadores no andaime de um prédio durante fortes ventos. O Rio Grande do Sul também estragos provocados pela forte chuva. Além disso, os portos estão com atividades interrompidas devido à previsão de ventos de 120 km/h e mais de 700 mil clientes estão sem energia. No Paraná, ventos de quase 100 km/h derrubaram árvores e deixaram imóveis de Curitiba sem energia elétrica. O telhado de um conjunto habitacional também foi arrancado com a força dos ventos. Na manhã desta quarta, algumas ruas de Curitiba ainda estavam interditadas, com árvores e até postes que caíram. Mortes na região Sul Sete pessoas morreram vítimas das chuvas em Santa Catarina. Na cidade de Chapecó, no Oeste, uma idosa morreu após ser atingida por uma árvore. Em Santo Amaro da Imperatriz, na Grande Florianópolis, um homem perdeu a vida depois de ser atingido pela fiação elétrica de um poste depois da queda de uma árvore. Três pessoas morreram em Tijucas, na Grande Florianópolis. Em Ilhota, no Vale do Itajaí, um homem de 59 anos morreu após um muro desabar na noite de terça-feira, no bairro Baú Baixo. De acordo com a Defesa Civil do município, a vítima era motorista, morador do estado de São Paulo, e teria ficado preso entre um caminhão e a estrutura que desabou. De acordo com a Defesa Civil, uma morte foi confirmada na manhã desta quarta em Governador Celso Ramos. No Rio Grande do Sul, um homem morreu morreu soterrado após um deslizamento de terra causado pelo temporal em Nova Prata, na Serra. Vanderlei Oliveira, de 53 anos, foi socorrido pelos bombeiros, que o encontraram embaixo dos escombros de um tapume que ajudava a erguer na encosta de uma construção, no loteamento Clivatti. Ele chegou a ser levado para o Hospital São João Batista, mas não resistiu.


6 visualizações0 comentário