• Redação

Em coletiva, presidente do Botafogo-PB Orlando Soares rebate acusações e confirma auditoria no clube




Em coletiva de imprensa realizada na tarde desta sexta-feira (02), no Terraço do Belo, localizado no Centro de Treinamento da Maravilha do Contorno, o presidente do Botafogo-PB, Orlando Soares, rebateu as acusações da oposição do clube, que fez uma denúncia afirmando que o grupo que atualmente dirige o Belo estaria fraudando a eleição marcada para o dia 11 de outubro, que vai definir o novo presidente do Conselho Deliberativo.


“Todos os nomes que eles irresponsavelmente publicaram, nenhum deles constam na nossa chapa para conselheiro, nem tão pouco tem direito a voto”, explicou o dirigente.


Na ocasião, o presidente Orlando Soares também confirmou que a atual diretoria do Botafogo-PB está contratando uma empresa para realizar uma auditoria independente para analisar todas as contas do clube nos últimos 60 meses. O dirigente informou que o Belo atualmente tem uma dívida de cerca de R$ 3,2 milhão junto ao Governo do Estado, devido a fraudes cometidas por gestões anteriores no programa Gol de Placa.


“Que fique bem claro que esse dinheiro que temos que devolver foi oriundo do programa Gol de Placa, que o Estado, Gaeco e Ministério Público fizeram uma análise e viram que não estava da forma correta. O CNPJ do Botafogo está implicado, sem falar que não recebemos a verba de 2019 e 2020 do Gol de Placa, algo em torno de R$ 2,5 milhão. A auditoria vai trabalhar sim, inclusive nos anos da nossa gestão”, revelou.


Por fim, o presidente do Conselho Deliberativo do clube, Luciano Wanderley Filho, informou que o clube comunicou ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) sobre a presença do ex-vice-presidente de futebol do Belo na reunião da comissão eleitoral que aconteceu na última segunda-feira (28), na Maravilha do Contorno. O encontro foi realizado para definir os detalhes da eleição do dia 11 de outubro. Vale lembrar que o ex-dirigente, banido do futebol pela Operação Cartola, não pode comparecer às dependências do clube.


“Para preservar o clube de danos futuros, nós resolvemos fazer esse comunicado ao STJD das atitudes que o referido que comanda a oposição vem cometendo, inclusive com agressões verbais a diversos conselheiros, promovendo cenas desagradáveis dentro do clube”, contou.


Além de Orlando Soares e Luciano Wanderley Filho, ainda estiveram presentes na coletiva o vice-presidente jurídico do clube, Frederick Diniz, o diretor financeiro Pedro Ruffo, o vice-presidente social Antônio Navarro e os conselheiros José Carlos Lins Falcão, Cássio Timóteo e Herbert Levy.

14 visualizações0 comentário