• Redação

Em entrevista exclusiva ao falaseriopb.com, o presidente do Botafogo Sérgio Meira abre o jogo...

Ele desabafa, fala do atual momento do clube e se diz decepcionado com ex-dirigentes que afirmam ser botafoguenses e trabalham contra a atual administração do clube...



O presidente do Botafogo (PB) Sergio Meira desabafa, fala do atual momento do clube e se diz decepcionado com ex-dirigentes que afirmam ser botafoguenses e trabalham contra a atual administração do clube...

Ele ainda falou da desclassificação do time das finais do paraibano, da troca de treinadores, das contratações, e das eleições marcadas para outubro, além de demonstrar total descontentamento quando se fala da “Operação Cartola”, que manchou o nome do clube.


Sergio ainda vê com tristeza o desrespeito de alguns ex-dirigentes que respondem processos na justiça e insistem em voltar a fazer parte da diretoria Botafogo.

Ele defende a paz no clube, mesmo sabendo que as forças ocultas estão atrapalhando e ainda deixou uma mensagem para os verdadeiros botafoguenses e disse que o futuro do clube depende de quem realmente quer o Botafogo grande e não apenas se aproveitar da marca vitoriosa que tem o Clube...


Confira a entrevista completa ao Jornalista Ronaldo Belarmino editor geral do falaseriopb.com:



RB: Presidente Sergio Meira, como está o atual momento do Botafogo?


SM: O Botafogo tem enfrentado muitas dificuldades por conta da pandemia, e isso tem complicado um pouco a vida do clube, o time não voltou bem as atividade de treinos e até nos jogos, e com isso não conseguimos a classificação para as finais do paraibano, e sabemos que isso vai pesar até porque o Botafogo não vai jogar a Copa do Nordeste e a Copa do Brasil do ano que vem e são competições que dão um certo suporte financeiro, mas pra isso era preciso conquistar o paraibano, coisa que não foi possível.

RB: Como anda as finanças do Clube atualmente?


SM: No momento estamos com as finanças equilibradas, onde o nosso caixa permite o salário do clube em dia até esse mês. Já para o próximo já vamos ter dificuldades em virtude da situação que a pandemia proporcionou, temos que buscar alternativas o que não é fácil, pois foi um ano sem arrecadação e pra um clube com a estrutura do Botafogo é muito difícil ter despesas e não ter receita, mas se Deus quiser vamos encontrar alternativas para cumprir nossos compromissos...


RB: Presidente, Como o senhor entende que ficarão os patrocinadores do clube, com o time fora de duas grandes competições importantes como Copa Nordeste e Copa do Brasil?


SM: Encaro de duas formas, a Copa do Nordeste todos vocês viram como o Botafogo foi desclassificado, tomaram nosso jogo contra o Bahia, o que não vamos mais aqui lamentar, já passou... O que me deixou mais triste, foi realmente à saída do time das finais do paraibano, principalmente dá forma como aconteceu, vencemos aqui por dois gols e perdemos lá por dois gols, quando nos pênaltis não conseguimos passar. A estrutura do Botafogo é grande e cara, trabalhamos com muito profissionalismo, mantivemos sempre os salários em dia, e com todo respeito ao Treze (que mostrou competência para nos vencer), o Botafogo não era pra ter saído, com isso perdeu a oportunidade do tetra campeonato e da presença nas duas competições,(C. Nordeste e C. Brasil)...

Isso foi muito ruim pra todos, eu entendo perfeitamente o lado do torcedor, que quer vitória e títulos, mas não adianta ter uma grande estrutura, com tudo funcionando perfeito, se em campo o time não reponde, eu quero aproveitar mais uma vez para pedir desculpas pelo clube, mas no futebol é assim, nem tudo sai como esperamos...


RB: Na sua opinião o que foi que aconteceu para o time não conseguir passar?


SM: O Principal fator eu entendo, foram às brigas internas e interesses individuais de pessoas que se dizem botafoguense, alguns até se achando dono do clube, e isso acabou influenciando e desestabilizando a equipe em alguns momentos. Tivemos também alguns resultados desfavoráveis contra equipes como o São Paulo Cristal e CSP o que nos deixou com a pontuação ameaçada, e a troca dos treinadores que eu acho que prejudicou até na liga do time.


RB: Fale-me da passagem rápida do técnico Mauro Fernandes, o que aconteceu pra ele não permanecer, foi a não classificação ou teve outro fator?


SM: Quando eu estava para contratar o novo treinador, eu afirmei que o passaporte dele para a serie C, seria a conquista ou até estar na disputa do titulo do paraibano, e não aconteceu. O torcedor não aceitou, cobrou uma postura nossa e tivemos que dar a resposta. Conversei com Mauro,

Ele entendeu e chegamos a um denominador comum.


RB: Fale-me da situação do Léo Moura. A torcida tem pegado no pé do jogador, e ele não tem jogado o que de fato existe?


SM: Léo Moura foi uma aposta de marketing do Botafogo para elevar o corpo de sócios do clube, também para ser uma referencia em campo por se tratar de um jogador respeitadíssimo por onde passou e para nos ajudar no futuro nas formações de base do clube. Com a chegada de Léo o primeiro efeito foi conseguido, nós dobramos o numero de sócios torcedores o que já foi uma vitória. No campo Léo teve problemas de contusões o que lhe afastou dos treinos com o grupo, hoje está fazendo um tratamento de hérnia de disco inclusive usando seus próprios recursos, mas logo estará reintegrado no elenco.


RB: Quanto a reforços, você pensa em reforçar o time já que só resta a Série C como esperança para o acesso a Série B?


SM: Claro!... Já trouxemos um novo executivo de futebol, Edgar Montemol, contratamos um técnico vitorioso com um grande histórico acostumado com acessos, o Rogerio Zimerman e vamos fazer algumas contratações de jogadores pontuais de acordo com o pedido dele. No momento estamos avaliando algumas dispensas até para enxugar o elenco e não errar nas contratações.


RB: O senhor tem sofrido pressão interna e externa, da torcida e até de parte da imprensa, como vê isso?


SM: Em qualquer gestão é importante se ter oposição, mas que seja uma oposição responsável, que cobre o que a gente não enxerga e no Botafogo isso não está acontecendo.

Existe um ex-diretor, que não vou citar o nome pra não promove-lo, mas que todo mundo sabe quem é que de forma maldosa anda baixando o nível, ameaçando a atual gestão, como fez com o presidente do Conselho, Luciano Wanderley num total desrespeito que o cidadão tem, e até financiando alguns irresponsáveis para fazer pressão em redes sócias e rádios sobre o time e sobre a nossa diretoria.

Como ele tem ligação com alguns jogadores, desde a época que contratava para o time, ainda tenta interferir nesses jogadores na tentativa de desestabilizar o grupo, o que é extremamente lamentável, mas que faço questão de deixar registrado.


RB: Qual analise o senhor faz sobre o clube e a “Operação Cartola”?... O que pesou para o clube ter seu nome e de seus dirigentes estampados na imprensa por conta desta operação, isso ainda influi?


SM: Foi um fato que trouxe muito constrangimento para todos nós do Botafogo, até porque envolveu diretamente pessoas que estavam no convívio do clube, e inclusive pessoas inocentes...(não quero citar nomes), mas acho que houve excesso de sensacionalismo por parte da divulgação..Eu prefiro apagar esse momento...


RB: O senhor também foi acusado de não ter tido transparência na sua gestão financeira como diretor, isso procede?


SM: Não, pelo contrario, eu corregi alguns erros que vinham acontecendo na administração do clube de forma viciada. Eram formas ultrapassadas que não cabiam na estrutura do clube. Não falo de desonestidade, mas sim de forma correta, e talvez isso tenha incomodado essa pessoa que me acusou. Hoje estou presidente e todos sabem como cheguei a esse cargo no Botafogo, foi justamente num momento difícil que o clube atravessava com a “Operação Cartola”. Eu sempre fiz e faço tudo com honestidade e vou deixar minha gestão com toda a transparência possível...


RB: Vamos falar de eleições. Faça um raio x do momento eleitoral do Botafogo


SM: As eleições foram antecipadas para 11 de Outubro, e já começa a aparecer às

especulações... O ex-vice-presidente do clube já anunciou se estiver livre do processo da “Operação cartola” será candidato. Também tomei conhecimento pela radio que foi lançado o nome de Alexandre Cavalcante como candidato.

Nós vamos juntamente com nosso grupo lançar um nome de consenso que pode não ser o meu, mas de alguém que também tenha compromisso com o clube e que possa comandar essa instituição tão importante que é o Botafogo, com respeito e compromisso, como faço.

Eu fui o primeiro presidente a trazer para o terraço do belo a torcida para prestar contas do clube, junto ales, e não tenho vaidade nenhuma com isso, vou cumprir com minha responsabilidade até o ultimo minuto nessa cadeira.

RB: O senhor teme que patrocinadores debandem caso os envolvidos na Operação cartola volte ao clube?

SM: Sim, é natural, um patrocinador que tem sua marca respeitada não quer vê-la numa instituição que seus diretores não tenham credibilidade, isso é normal no mundo inteiro, por isso vamos trabalhar para colocar no comando do Botafogo pessoas que tenham credibilidade.

RB: Presidente Sergio Meira, eu quero lhe a gradecer pela entrevista e pela cordialidade com a equipe do falaseriopb, desejo sucesso, mas gostaria que o senhor deixasse a sua mensagem pra torcida do Botafogo.


SM: A mensagem que deixo pra torcida, é que tenha confiança nesta diretoria, nós trabalhamos para o clube e foi pensando nesse compromisso que aceitamos ser presidente. Tivemos erros em algumas coisas como a não classificação para as finais, mas acertamos muito mais. O Botafogo é dos botafoguenses e assim será sempre. Nosso patrimônio está aí, poucos clubes no Brasil tem um patrimônio igual ao Botafogo, isso é furto de um a trabalho de todos, O botafogo é grande e se Deus quiser vai permanecer grande...

Muito obrigado.

238 visualizações0 comentário
Receba nossas atualizações
  • Instagram ícone social
  • Facebook ícone social
  • Twitter ícone social
  • YouTube
  • iconfinder_social-11_1591847

© 2020 Fala Sério Pb