• Redação

Facções criminosas da Paraíba são destacadas em matéria da imprensa nacional por ‘soldados do crime’

Okayda e Estados Unidos..Duas facções instaladas no estado foram citadas na matéria...


Uma matéria publicada neste domingo (19), no El País, sobre facções que articulam o crime organizado no sistema penitenciário federal, citou duas facções paraibanas, a ‘Okaida’ e ‘Estados Unidos’. No material também cita a rivalidade criminal que está presente até no nome escolhido.


Apesar da presença de dezenas de concorrentes, o Primeiro Comando da Capital, maior facção brasileira inclusive com presença internacional em outros países da América do Sul, é o grupo com maior número de presos no sistema federal: são 204 integrantes dentro de uma população de pouco mais de 640 detentos. Logo atrás vem o Comando Vermelho, com 126 presos, e a Família do Norte, com 50. O quarto e quinto lugar ficam com Guardiães do Estado (Ceará), com 22 membros, e Nova Okaida (Paraíba), com 14.


TUDO SOBRE A ‘OKAIDA’ Confira a história da maior facção criminosa da história da Paraíba: VEJA VÍDEO


A proliferação de facções locais em alguns Estados pode levar à reorganização das estruturas do crime na região, com a junção de grupos dispersos em um novo para fazer frente ao inimigo hegemônico. Em alguns casos esta rivalidade criminal está presente até no nome escolhido: na Paraíba primeiro foi criada a Okaida (inspirada no nome do grupo terrorista Al-Qaeda), no início dos anos 2000. Para enfrentá-la e não desaparecer do mapa as gangues remanescentes se agruparam na facção batizada de Estados Unidos. No Rio Grande do Sul os Bala na Cara (ou Toma Boca como são conhecidos pelos rivais) enfrentam uma facção criada à partir da coalizão de vários grupos, chamada Antibala-V7.

16 visualizações0 comentário