• Redação

LUTO: Ex-prefeito de Bayeux, Expedito Pereira, é assassinado a tiros em João Pessoa


O ex-prefeito do município de Bayeux, Expedito Pereira (MDB), foi assassinado a tiros, na manhã desta quarta-feira (9), na Avenida Sapé, no bairro de Manaíra, em João Pessoa.

As primeiras informações davam conta de que ele teria sido vítima de uma tentativa de assalto, porém, após divulgação de imagens captadas por uma câmera de segurança instalada nas proximidades do local do crime, a suspeita foi descartada, uma vez que, no vídeo, a vítima aparece sendo assassinada por um homem que estava em uma moto e que, aparentemente, teria atirado logo após reconhecer o ex-prefeito. Após desferir os tiros, o homem foge do local sem tentar roubar nada do ex-prefeito que fica caído ao chão.

De acordo com informações da Polícia, o crime aconteceu às 09h13 e, várias equipes da Companhia Especializada em Apoio ao Turista (CEATur) realizam buscas pelo bairro.


Veja video completo no momento do crime: https://www.paraibaradioblog.com/2020/12/09/ex-prefeito-de-bayeux-expedito-pereira-e-assassinado-a-tiros-em-joao-pessoa/


Histórico Expedito Pereira de Souza tinha 72 anos de idade e, além de prefeito, foi vereador, deputado estadual e também médico gastroenterologista e clínico geral. Expedito também foi secretário municipal de Saúde de Santa Rita (1986-1988). Vice-prefeito de Bayeux (1989-1993, PMDB), assumiu o mandato de prefeito em 1992 após a morte de Lourival Caetano. Prefeito eleito por dois mandatos de Bayeux (1997-2000, PRP-PB; 2001-2002, PMDB-PB). Suplente na legislatura 2007-2011, assumiu o mandato de deputado estadual em março de 2009 na vaga de Iraê Lucena, nomeada secretária estadual de Ação Governamental. Outros dados relevantes Formado em medicina. Foi diretor do Hospital Edson Ramalho (1991-1992), em João Pessoa. Foi cassado pela Justiça Eleitoral em 2002. Candidatou-se à prefeitura de Bayeux em 2008 pelo PSB. Filiações partidárias PRP, PMDB, PSB e MDB Justiça TRE-PB Processo Nº2433/2002 – Condenado à inelegibilidade por três anos a partir de 2000. O parlamentar teve recurso contra a condenação negado. TJPB, Comarca de João Pessoa Processo Nº07520090013485 – Réu por improbidade administrativa. TJ-PB Comarca de Bayeux processo Nº07520040026314 – Responde(u) por crime contra a administração pública. A Justiça Eleitoral o condenou Expedito Pereira a prestação de serviços à comunidade e a suspensão dos direitos políticos por abuso de poder econômico ao autorizar a isenção de IPTU em troca de vantagens eleitorais na campanha de 2000. A ação criminal foi movida após o processo de impugnação de mandato eletivo que resultou em sua cassação em 2001. Já o Ministério Público ajuizou ações civis públicas de execução fiscal, improbidade administrativa e processos criminais contra Expedito. Em 2008, Agentes da Polícia Federal apreenderam requisições de exame médico assinadas por Expedito Pereira, então candidato a prefeito de Bayeux, em residências de supostos cabos eleitorais. Suspeita-se que as requisições tenham sido utilizadas em troca de votos.



30 visualizações0 comentário