• Redação

O incrível significado por trás das bolas vermelhas em linhas elétricas de alta tensão

SERENDIPITY TIME


Por vezes, você terá que semicerrar os olhos para ver essas esferas, uma vez que elas não parecem ser tão grandes. Mas isso não é verdade! Lembre-se que algumas estão a centenas de metros no ar, logo, sua visão, vinda do solo, não retrata o verdadeiro tamanho do objeto. Inclusive, uma das maiores variedades chega a medir, no mínimo, 90 centímetros de diâmetro.

Já as bolas que se encontram um pouco mais próximas ao chão – abaixo de 15 metros de altura – chegam a ter apenas 50 centímetros. A distribuição entre elas varia dependendo do tamanho. Assim, enquanto as esferas maiores são separadas por cerca de 60 metros, as menores podem estar a apenas 9 metros de distância.


Sem dúvida, tudo isso faz parte de um sistema bem regulado. Portanto, qual é o propósito dessas bolas coloridas com perfeitas dimensões e espaçamentos uniformes? O que elas têm a dizer às pessoas que passam por ali? Caso ainda não saiba, isso se dá provavelmente porque você não faz parte deste ramo.


Tudo tem a ver com o que esses fios de alta tensão transportam: eletricidade. Ser capaz de iluminar nossas cidades e nossas casas é, na verdade, um fenômeno ainda recente. Foi somente em 1882 que os engenheiros Oskar von Miller e Marcel Deprez enviaram eletricidade a uma longa distância. Eles dependiam de cabos aéreos, os quais normalmente transmitiam telégrafos, e assim utilizaram tais fios para passar uma corrente de 2,5 quilowatts ao longo de um trecho de 56 quilômetros. Embora não pareça uma longa distância, foi revolucionário na época.


Antes desse momento histórico, as centrais elétricas só poderiam servir às cidades e vilas próximas. Isso significava que a eletricidade possuía apenas um curto percurso desde seu ponto de origem até os locais que precisavam dela. Com o passar do tempo, as companhias de energia elétrica mudaram-se para instalações maiores e mais remotas. O único problema disso era que agora elas estavam muito mais distantes de seus clientes.


Para solucionar este problema, as empresas de energia elétrica tiveram que encontrar uma nova e eficiente maneira de transportar a eletricidade aos consumidores. Não foi uma tarefa fácil, inclusive porque qualquer desperdício de energia era dinheiro perdido para essas companhias. Por isso, a criação de um adequado sistema de condução era de extrema importância.


Atualmente, as linhas de transmissão de energia elétrica são simples de ser transportada para as áreas onde vivemos e trabalhamos. Contudo, você pode se surpreender ao saber que os fios de alta tensão acima não são isolados. Por que isso ocorre? Bem, uma vez que poucas pessoas se aproximam deles, foi considerado um gasto desnecessário de dinheiro. No entanto, quaisquer outros cabos mais abaixo terão isolamento elétrico a fim de proteger as pessoas nas proximidades.

Acidentes acontecem com linhas elétricas – eletrocussões, na maioria das vezes. Isso costuma ocorrer quando, em contato com o solo, um trabalhador da construção civil ou seu equipamento toca em um fio. O indivíduo torna-se uma espécie de condutor, possibilitando que a energia viaje do cabo energizado através da pessoa até a terra.


Isso também explica o motivos dos pássaros poderem se sentar nos fios das torres de transmissão de energia elétrica sem qualquer problema. A eletricidade não sai dos cabos a menos que tenha um caminho para o solo, o que significa que essas criaturas podem pousar nas linhas elétricas sem perigo. Somente terão problemas se esbarrarem em dois cabos ao mesmo tempo ou colidirem no mesmo momento com um fio e um poste de sustentação desses cabos aéreos.

As empresas de energia elétrica cuidaram dessa situação ao aumentar a distância entre linhas para que os pássaros não se choquem em dois fios elétricos ao mesmo tempo quando pousarem. Assim, corvos, pombos e outros de sua espécie estão perfeitamente seguros para passar um tempo lá em cima, como você certamente já os viu fazer.


Porém, não só pássaros são vistos nos cabos de alta tensão. Às vezes, nos centros urbanos, também notamos sapatos pendurados nas linhas elétricas. As pessoas amarram os cadarços do tênis um no outro e depois lançam em direção aos fios. Um bom arremesso costuma prender o sapato na linha de energia elétrica e deixar o objeto exposto para que todos nas redondezas vejam.


Entre 2008 e 2015, solicitaram a retirada de pelo menos 6 mil pares de sapatos dos fios de alta tensão da cidade de Chicago, conforme as informações da estação de rádio WBEZ.

Mas essa não é uma questão exclusiva de tal município, tanto que você verá diversos tênis pendurados em lugares do mundo todo. Apresenta-se, assim, um fenômeno com muitas explicações possíveis.

Devido aos confrontos em relação às gangues, algumas pessoas associaram os tênis nas linhas elétricas ao crime urbano. Um antigo membro de gangue, chamado Patrick Starr, confirmou isso à WBEZ em 2015. Ele e seus amigos marcavam o território por meio de calçados nos fios. Em outros lugares, grupos utilizam sapatos também para indicar onde os rivais morreram ou onde seus próprios foram vítimas de violência.

Talvez você tenha ouvido alguma vez que um sapato pendurado representa um local onde as pessoas vendem drogas. Contudo, os moradores de Chicago refutaram essa ideia. Há histórias de pessoas as quais jogaram o tênis por conta de pegadinhas e até mesmo por vingança. Logo, eles tiveram diversos motivos para arremessarem os sapatos nos cabos elétricos.


Apesar dos tênis não serem adicionados aos cabos elétricos pelas autoridades municipais, existem alguns enfeites os quais são oficialmente aprovados. Ao contrário dos tênis pendurados, estes itens legalizados pelo Estado possuem objetivo e significado claros àqueles que sabem como interpretá-los.


Ao observar um transformador e os fios de alta tensão que se projetam dele, você deve ter notado objetos semelhantes a discos ao redor dos cabos elétricos. Estes itens, independentemente da cor, são isolantes elétricos, colocados ali para evitar que os fios toquem em qualquer coisa que possa causar choque.

Se os fios elétricos passam próximos a um transformador, eles têm um caminho direto para o solo. Como a maioria dos transformadores é feito de metal, eles podem conduzir a eletricidade para baixo – o que as companhias de energia elétrica evidentemente não querem que aconteça. No intuito, então, de evitar com que os cabos fiquem perto do transformador, isolantes elétricos são colocados ao redor das linhas.


Entretanto, talvez você não esteja nem perto de um transformador. O que você está vendo não é um objeto com formato de disco em linhas elétricas. Não, o que você notou é, sem dúvida, algo esférico: uma enorme bola de plástico pendurada nos fios aéreos. Ainda que você esteja em um lago, passando por um cânion ou indo ao aeroporto local, é inevitável ver essas esferas.

Essas bolas também possuem uma variedade de cores. No início, a tonalidade era somente vermelha, porém os especialistas passaram a usar o laranja brilhante mais tarde como padrão. De todo modo, esferas vermelhas, alaranjadas, amarelas e até mesmo brancas podem ser vistas. Como foi citado anteriormente, elas também têm distintos tamanhos.


Geralmente, as bolas são separadas umas das outras com uma distância de 60 metros, apesar de poderem estar mais próximas quando são localizadas perto de um aeroporto. Todas essas informações dão uma dica quanto à finalidade dessas esferas nas torres de transmissão de energia elétrica. Aliás, você deve considerar um último e irônico detalhe sobre elas

As grandes esferas precisam ser fixadas aos fios de alta tensão e este trabalho é extremamente arriscado. Mesmo utilizando altos guindastes, os funcionários nem sempre conseguem alcançar estas linhas. Como, então, as equipes chegam lá em cima? Às vezes é preciso ir em um helicóptero, o qual sobrevoa ao lado do cabo por tempo suficiente para que a enorme e colorida esfera seja pendurada. Como foi citado anteriormente, estas bolas começaram a aparecer nos fios elétricos da Flórida e do Arkansas a partir dos anos 50. Contudo, também há relatos os quais afirmam que essa tendência teve início na década de 1970, no Arkansas, quando o governador do estado pegou um voo e notou algo preocupante ao pousar.

Supõe-se que foi Winthrop Rockefeller quem se assustou ao observar, através da janela do avião, os cabos elétricos extremamente próximos à aeronave. Com razão, Rockefeller acreditava que esses fios deveriam ser mais visíveis aos pilotos. Portanto, as esferas começaram a aparecer como um sinalizador aos profissionais da aviação, de modo que ficassem distantes de tais perigosas redes elétricas à frente.

Como os pilotos em outros estados não possuíam o mesmo sistema de sinalização – pelo menos, não tão cedo quanto o Arkansas -, houve um caso que acabou em tragédia. Ainda que no final dos anos 80, as autoridades do Colorado já tivessem iniciado a instalação dessas bolas através de seu famoso terreno acidentado, não fizeram suficientemente rápido a ponto de evitar um acidente sobre o rio South Platte.


Como você já deve ter adivinhado, as esferas vistas sobre lagos, rios e cânions possuem maiores dimensões. A Administração Federal de Aviação determina que elas devem ter, no mínimo, 90 centímetros de diâmetro. Já estas bolas menores de 50 centímetros são consideradas suficientes para fios de alta tensão que se encontram abaixo de 15 metros de altura. É possível verificá-las em tamanho reduzido ao final das pistas de aeroportos.


Se você olhar pela janela do avião enquanto ele estiver seguindo até a extremidade da pista, conseguirá ver que as esferas estão muito mais próximas umas das outras, separadas por uma distância de 9 a 15 metros entre elas. Assim, essas bolas atuam como sinalizadores práticos, de modo que apresentam ao piloto que a aeronave está se aproximando do fim da pista.


Isso é importante tanto aos profissionais da aviação e da navegação quanto àqueles envolvidos na causa da conservação da fauna. As grandes e coloridas esferas nas linhas elétricas fazem algo: elas salvam vidas. Agora, ao passar e vê-las em toda sua glória de tons alaranjados, vermelhos, amarelos ou brancos, você pode apreciar tudo o que elas realizam apenas por estarem penduradas em cabos da cidade.



35 visualizações0 comentário