• Redação

PARAÍBA, a festa do nosso futebol..

Atualizado: 1 de Jul de 2020


Nílton Santos, Pelé, Garrincha, Roberto Dinamite, não estamos falando de seleção brasileira, mas sim do futebol paraibano em sua época áurea, com registros memoráveis e inesquecíveis do esporte tão nosso , como o são joão de Campina e o abacaxi de Sapé.

Uma linda página escrita com mãos de quem as tecia com grande sabedoria , o já falecido e muito querido Genival Leal de Menezes que com seu espírito desportivo , sangue de atleta nas veias e perfil vencedor, administrava com muita categoria o nosso futebol que era narrado pelas vozes poéticas de Marcus Aurélio , Eudes Toscano , Ivan Tomás e comentários abalizados de Ivan Bezerra ( uma verdadeira sinfonia para os nossos ouvidos!) .

Em um tempo que o pequeno estádio Leonardo Vinagre da Silveira vivia lotado e bem estrangulado pelo grande público presente , que assiduamente frequentava aquela praça e posteriormente os recém-inaugurados Almeidão e Amigão , para escrever sempre mais uma pagina desse acervo.


Manuel Francisco dos Santos (Garrincha) , Edson Arantes do Nascimento (Pelé ) e Nílton Santos , que nos trouxeram títulos e muitas alegrias, principalmente na conquista das copas do mundo de 1958 e 1962 , junta-se a esses momentos o inesquecível milésimo gol de Pelé e a contratação do artilheiro Roberto Dinamite , pelo Guarabira da cidade de mesmo nome e que vieram para abrilhantar mais ainda os nossos festivos momentos , ocasionando um verdadeiro êxtase quando o goleiro Neto defendeu um pênalti do artilheiro ex-Barcelona e seleção brasileira (Roberto ainda marcaria outro de penalidade máxima ) no estádio Sílvio Porto lotado , no torneio início outrora realizado para abrir nossa temporada futebolística.



Foi em uma noite inesquecível do já longínquo ano de 1973, no estádio Municipal Leonardo da Silveira, o popular campo da Graça em uma partida amistosa entre o Botafogo Futebol Clube X Clube Maguari , campeão cearense . O Botafogo Pb ( ainda sem o título de Belo ) entrava em campo no estadinho querido da Zona sul com jogadores memoráveis como, Marco Antônio, Vavá, Marcos Silva Paulinho, Leone, Jorge Flávio, Garrincha, Paulo Matos, Reginaldo etc...

O mais querido da Paraíba ganhava a partida pelo placar de 3 x 1 , tentos assinalados por Jorge Flávio, Paulinho e Reginaldo.



Garrincha, simplesmente lotou o estádio de graça , onde era comum se observar torcedores toda vizinhança em cima de árvores e telhados , para festejar junto aos craques que desfilavam naquele momento festivo.

Garrincha ainda ensaiou alguns momentos de euforia ao pegar a bola, levou-a pra cima do lateral esquerdo, bailou elegantemente e deu o passe com soberania com a cabeça sempre erguida ao centroavante Jorge Flávio.

Garrincha ainda levantou a torcida quando tentou encobrir o arqueiro do Maguary em um chute de longa distância.


O milésimo gol de Pelé , que descobriu-se ter sido feito no estádio olímpico José Américo de Almeida após recontagem histórica . Aconteceu no dia 14 de novembro de 1969, antes do jogo do Maracanã , tendo como histórico o arqueiro mil Lula Monstrinho do Botafogo da Paraíba. Segundo a Folha de São Paulo (14 de maio de 1995) " A Paraíba viu o verdadeiro milésimo gol, erro de contagem consagrou o Maracanã", matéria assinada pelo jornalista Valmir Storti.

O Santos de São Paulo e o Botafogo da Paraíba foram contratados pelo Governo da Paraíba para comemorarem o Bicampeonato paraibano do Belo em 14 de novembro de 1969, uma 6ª feira à noite, ao final Santos 3 x 0 tendo o árbitro da partida assinalado um pênalti para o Alvinegro Paulista e Pelé se recusou a bater , mas os jogadores do time argumentaram e Pelé, dando a paradinha tradicional, vasou o goleiro Lula, do Botafogo-PB, que caiu no outro canto inverso à batida do rei do Futebol. Pelé faria o gol de número 1.000 ! Com a festa pronta para cinco dias depois no Maracanã , foi constatada lesão do arqueiro Jair Estevão e , obedecendo às ordens do treinador Antoninho , o rei viu-se obrigado a atuar como goleiro!

Temos também as passagens de Garrincha e Nílton Santos pelo Treze ( em1968 e 69 )e a excursão do famoso camisa sete pelo sertão paraibano incluindo Patos e Cajazeiras na sua brilhante carreira de melhor ponta direita do mundo. Mas isso já é outra história , contadas pelo amigo escritor e historiador Serpa e que traremos em edições futuras..


Por Epitacio Dantas

204 visualizações0 comentário
Receba nossas atualizações
  • Instagram ícone social
  • Facebook ícone social
  • Twitter ícone social
  • YouTube
  • iconfinder_social-11_1591847

© 2020 Fala Sério Pb