• Redação

TENSÃO: Guedes anuncia pedidos de demissão de dois secretários e vê 'debandada' na Economia

Ministro da Economia afirmou os dois estavam insatisfeitos com a morosidade das privatizações (Salim Mattar) e da reforma administrativa (Paulo Uebel).


Os secretários especiais de Desestatização e Privatização, Salim Mattar, e de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Paulo Uebel, pediram demissão nesta terça-feira (11), informou o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Guedes deu a informação em entrevista após uma reunião no Ministério da Economia com o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ). “Se me perguntarem se houve uma debandada hoje, houve”, disse Guedes. Segundo o ministro, apesar das demissões, o governo não desistirá das reformas. "Nossa reação à debandada que ocorreu hoje vai ser avançar com as reformas", afirmou. Com as saídas de Mattar e Uebel, são sete os integrantes da equipe econômica que deixaram o governo desde o ano passado. Além dos dois, já haviam saído De acordo com Paulo Guedes, o secretário Sallim Mattar afirmou que estava insatisfeito com o ritmo das privatizações. "O que ele me disse é que é muito difícil privatizar, que o estabilishment não deixa a privatização, que é tudo muito difícil, tudo muito emperrado", declarou Guedes. O ministro, porém, disse que o governo mantém o objetivo de fazer privatizações.

Na reunião ministerial de 22 de maio, Guedes afirmou ao presidente Jair Bolsonaro e aos demais ministros: "Tem que vender essa porra logo", em referência ao Banco do Brasil. O ministro Paulo Guedes afirmou que apontou a Salim Mattar a necessidade de "lutar" para que as privatizações aconteçam. "O que eu digo para o Salim, o que eu sempre disse foi o seguinte: para fazer a reforma da Previdência cada um de nós teve que lutar. Para privatizar, cada um de nós tem que lutar. Não adianta esperar ajuda do papai do céu. Nossa proposta foi de transformação do estado. Então, nós vamos tentar e vamos correr até conseguir", declarou. No caso de Paulo Uebel, o secretário estaria insatisfeito com o andamento da reforma administrativa, de acordo com o ministro. "A reforma administrativa está parada. Então, ele [Uebel] reclama que a reforma administrativa parou. A transformação do estado tem várias dimensões", afirmou Guedes.

G1






6 visualizações0 comentário
Receba nossas atualizações
  • Instagram ícone social
  • Facebook ícone social
  • Twitter ícone social
  • YouTube
  • iconfinder_social-11_1591847

© 2020 Fala Sério Pb